quinta-feira, 12 de outubro de 2017

I ♥ Flute

Ps.: Leia este post ouvindo You are not alone - Michael Jackson


Olá pessoal, hoje quero compartilhar com vocês a minha história de amor, e dessa vez não é com o Adauto (apesar dele ter 100% de culpa/crédito nesse amor) é com a flauta transversal.


 Desde que eu conheci o Adauto eu soube que teria que aprender um instrumento para acompanhar ele, já que além de professor de música, ele é musico e sempre tocou em orquestras, bandas, cameratas.
A flauta, além de ser linda e elegante, me encantou a primeira vista, como nos meus votos de casamento eu havia prometido me dedicar a um instrumento, passei a me apaixonar cada dia mais pela flauta.


Não é o instrumento mais fácil para ser aprendido, mas também não é o mais difícil. Cada nota nova, grave ou aguda que eu consigo me sinto orgulhosa e realizada, para mim é como se a flauta fosse uma terapia, e olha... vem funcionando muito bem!


Espero que gostem, beijinhos docinhos e até mais!



segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Voltei

Caros leitores, gostaria de informar que dessa vez é pra valer: Eu voltei.

Quando criei este blog, pensava em compartilhar meus textos e fotos, mas nunca o levei a sério.

Neste momento não estou trabalhando, apenas estudando, e por isso resolvi voltar de vez aqui, até comprei o domínio do site agora, hahaha.

O importante é que agora estou mais focada em levar esse projeto pra frente, então, sejam bem-vindos novamente aqui.


beijinhos docinhos e até mais, Ester

Na hora certa, a pessoa errada


Eu até poderia fingir que você não mexeu comigo, mas isso seria mentir de mais para meu coração. Foram só alguns minutos, e no entanto penso em você o dia todo! As vezes me sinto boba, e as vezes culpada... como você se sente? Sei que entre nós há muita química, cumplicidade, e transparência, não há como negar que algo dentro de mim esta ligado a você! Mas, e como será nosso futuro? E quando os dias cinzas chegarem? as inseguranças, os fracassos e as decepções? seremos suficientes um para o outro? Saberemos lidar com tudo isso?!
Dentro de mim existem muitas dúvidas, mas todas as interrogações se toram reticências quando meus olhos se cruzam nos teus, quando minha pele encosta na tua. Quando a porta atrás de nós se fecha, é como se o mundo parasse lá fora, e mesmo o relógio me mostrando que está contra nós, eu sinto que o tempo que passamos juntos não é perdido. 
Aquele arrepio frio e gostoso, as melhores sensações, o sentimento de perdição seguido pelo de rendição

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Tag - Serendipity

Olá pessoal! Hoje vou compartilhar com vocês um vídeo em que respondo uma tag. Acho que já deu pra perceber que eu adoro Tag's né?! AH, se alguém tiver alguma e quiser me indicar, vou adorar responder.
A Tag de hoje se chama "Serendipity" e foi criada em homenagem à blogueira Melina Souza pelo pessoal do G.A.B.A. Vou deixar as categorias aqui em baixo para quem quiser responder...

Categorias:
1-  Mel: Um livro que tenha um personagem que é a sua cara.
2- Serendipity: Um livro que você tenha encontrado por acaso.
3- Spock: Um livro fofo.
4- London: Um livro que te transportou para um lugar no qual você gostaria de morar.
5- Gui: Um livro em quadrinhos ou um livro com um personagem nerd.
6- Fotografia: Um livro com ilustrações.
7- Bilbo: Um livro curto, mas que você tenha gostado muito de ler.
8- Beatles: Um livro popular que você ama.
9- Tatuagem: Um livro que te marcou para sempre.
10- Wonderland: Um livro que te levou para um universo fictício.


Espero que gostem, beijinho docinhos e até mais!!!

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Aos 21


Comemorar mais um ano de vida é uma bênção. Conforme os aniversários vão passando, o corpo vai crescendo, as festas vão mudando de temas, os presentes também... e quando reparamos somos adultos. Temos um emprego, uma casa, uma família e mil coisas na cabeça. Vinte e uma primaveras pode ser pouco se você já completou cinquenta delas, ou pode ser muito, se você ainda vai completar a décima quinta.
Anos atrás eu imaginei como seria minha vida aos vinte e um. Pensava eu:
- Estar cursando faculdade;
- Trabalhar;
- Estar casada;
- Ser gente grande.
O último item da minha lista se resumia a vestir roupas mais sociais e casuais, em tons de bege, marrom e preto, usar sapato de salto todo dia o dia inteiro e não cansar, trabalhar e gastar todo meu dinheiro com coisas úteis, gostar dos afazeres domésticos, parar de ler romances infantojuvenis, e revistas do gênero também, enfim, parecer adulta.
Hoje, ou melhor, ontem, completei 21 anos. Muita coisa mudou, eu mudei em muitos pontos, cresci um pouquinho, não engordei de jeito nenhum, me casei, tenho minha casa/apartamento e um emprego com moda que eu amo. Mas continuo a mesma menininha. Adoro sorvete colorido, bala de coração e pijamas. Continuo com medo de muitas coisas, ainda leio o mesmo gênero de revistas e livros. Não gosto de ser dona de casa e nem levo o menor jeito para isso. Me olho no espelho, várias vezes por dia, na esperança de uma hora ver no reflexo uma mulher adulta. Tenho muitas responsabilidades, ainda não sei qual faculdade cursar e se pudesse comeria pão de queijo, pipoca, bolo de cenoura, salgadinho e pizza o dia inteiro.
O que mais posso dizer? Se eu cresci? Sim, cresci, mais minha essência não mudou com os anos, e espero que não mude tão cedo. Afinal, fazer aniversário para mim é comer bolo da minha mãe, ganhar presente e não precisar lavar a louça naquele dia. Quem sabe um dia eu me torne adulta...